Chico Rei opina: review de Game Of Thrones S07E04

HOLLY MOTHER OF DRAGONS! Esse não foi um dominGoT qualquer, amigxs. Teve todos os ingredientes que mais amamos em Game Of Thrones e isso não é pouco, finalmente os roteiros preparatórios se foram. Quem também teve insônia pós Spoils Of War, me add. Vem que tem um review salada de spoiler, emoção e mini teoria.

Dracarys: spoiler alert!

O roteiro vazou e depois o episódio completo, tive ele em mãos mas resolvi esperar pela emoção de reagir junto com todo mundo. E como valeu a pena! Não faço ideia de como esse vazamento prejudicou a HBO, mas certamente o episódio mais curto e cheio de ação até agora, merecia uma estreia cheia de expectativa. De certa forma ela aconteceu.

Sweet summer children, sqn

Impossível não se emocionar com Arya chegando a Winterfell e nos brindando com um diálogo bem humorado com dois guardas trapalhões. Sansa encontrando-a na cripta e o abraço das duas mulheres Stark foi algo lindo de ser, ambas deixaram a infância e as bobas diferenças na Fortaleza Vermelha; e agora reunidas e fortes, prometem com certeza grandes feitos em um futuro próximo.
O abraço em frente à cripta do pai, os perrengues vividos e ainda não compartilhados fazem das irmãs Stark uma dupla letal. Te cuida, Mindinho!

Falando no jogador, ele é tão dissimulado que entrega a Bran sua própria adaga alegando não saber a quem pertence, claro, percebendo que a volta do único filho homem legítimo de Ned Stark pode revirar seus planos sórdidos – seja lá quais forem. O que o Mindinho não sabe é que ao contrário do João das Neves, Brandon sabe de absolutamente tudo e quando o garoto cita o início de uma frase dita pelo homem a Varys lá na terceira temporada. A gente vislumbra uma surpresa nos olhos do jogador, um olhar que raramente vemos em Mindinho. E deixo uma aposta: quando ele perceber o dom de Bran e ainda que ele sabe exatamente de todos os passos dados na guerra, bom, vai querer finalizar o trabalho planejado com a adaga? Que inclusive está na posse de Arya. Esperemos as próximas cenas.

Agora vamos falar de duas gigantes em cena: Arya e Brienne. Um dos pontos altos do episódio, a garota diz à guerreira que quer treinar com quem derrotou o Cão de Caça, ao que Bribri fica lisonjeada e as duas protagonizam uma cena de luta impecável e harmoniosa.
“Com quem aprendeu a lutar assim?”
Ninguém.”
Me arrepiei e aplaudi de pé, o oposto da reação de Sansa e Mindinho.

De volta à caverna, rs

E vai ter mais interação entre Jon e Dany sim! Dessa vez, o Rei do Norte leva a Khaleesi até a mina de Vidro de Dragão (Jon Snow gosta de uma caverna, né non?) e mostra a ela desenhos rupestres feitos pelas Crianças da Floresta, ilustrando a luta em conjunto com os Primeiros Homens contra, eles mesmos, os White Walkers.
O artifício de Jon faz Daenerys dar mais credibilidade a sua causa e aceitar finalmente lutar ao seu lado, mas claro que com a velha condição: ajoelhe-se, Jon Snow. Será que o cara vai dar o braço a torcer?

Os dois estão começando a se entender e em um misto de desespero e um tiquinho de confiança, Dany pede conselhos a Jon sobre o que fazer em seguida e ele, honrado como Ned, continua com o discurso de não matar inocentes. Admiração mútua começando a crescer ali, amigxs?

Ainda em Pedra do Dragão temos Sor Davos, o maior Jonerys shipper que respeitamos, comentando com o bastardo que já reparou nas olhadelas que ele lança à Mãe de Dragões, sagaz. Espertinho que só, o Cavaleiro das Cebolas continua interessadíssimo na vida de Missandei e questiona a moça mais uma vez, analisando sua relação com Daenerys. Duas possibilidades: os roteiristas estão tentando nos distrair, ou realmente tem caroço nesse angu. Traições e teorias estão parando a internet.

Não podemos esquecer de Tyrion levando na cara seus recentes fracassos, não que a Mãe de Dragões seja ingrata, mas jogar na cara que ele perdeu contra a família, acende o fato de que, afinal, ele é um Lannister servindo contra os Lannister. Pesado.
E Theon dando de cara com Jon Snow, que segurou as pontas porque o Greyjoy acabou salvando Sansa. A gente queria sangue, mas entendemos que ainda não está na hora. Sdds Robb Stark.

Lannisters pagam suas dívidas

De um jeito ou de outro, Cersei está com o Banco de Braavos quase nas mãos. O ouro de Jardim de Cima chegou a Porto Real, ao que tudo indica, mas logo depois… Bem, já já falo sobre.
A Rainha está bem segura de si negociando com o representante do banco, enquanto Jaime continua prometendo mundos e fundos a Bronn. Que afinal é o melhor amigo mercenário dos Lannister, sdds bromance Tyrion e Bronn.

Excelente cena entre Bronn, Dickon Tarly e Jaime, desglamourizando a batalha e mostrando que é complicado virar a casaca e lutar com casas antes amigas. O que não é um problema para o exército Lannister ultimamente, mas não é fácil pra mais ninguém.

Fogo, sangue e escorpião

Chegamos ao ponto alto do episódio: a épica batalha surpresa! Eu assisti a essas cenas de punhos cerrados, coração acelerado e olhos ardendo. Foi épico e fica difícil saber por onde começar a comentar.
Pois bem, tá tudo muito bom com Jaime e cia até que… bum, bum, bum. Os cavalos fazem o chão tremer e sim, os Dothraki chegaram à Campina. Mesmo sem ver Dany montada em Drogon, Bronn já manda Jaime se mandar, mas o teimoso fica. A cara dos soldados Lannister vendo os cavaleiros com lanças, machados e de pé sobre cavalos é algo magnífico de ver. Nenhum exército em Westeros estaria preparado para aquilo, já estava assustador o suficiente até a Khaleesi aparecer plena sobre Drogon, fritando – literalmente – meio exército. A cada dracarys era um surto meu e de milhares de fãs.

Tomadas impecáveis! Bronn andando desnorteado pelo fogo, entre corpos carbonizados e dothrakis implacáveis. Jaime sendo filmado de baixo, sobre seu cavalo com Drogon no céu, no mesmo plano… foi visualmente impressionante. Daenerys decidida e letal, de fato a Mãe de Dragões que amamos ver.

Vamos a alguns fatos: Cersei e Jaime têm se mostrado bons estrategistas em geral e muito cautelosos, afinal a arma de Qyburn, que eu tinha chamado de balestra e os produtores resolveram nomear escorpião, estava em Jardim de Cima junto ao exército, por precaução. E surpreendentemente, Sor Bronn soube usar com certa maestria e atingiu Drogon em um dos momentos de maior tensão do episódio (quiçá da temporada!!!). Quando vemos Drogon atingido e caindo, o olhar de pânico de Daenerys na queda e sua preocupação em remover o arpão do filho, amigxs. Arrebatador foi pouco, foi de gritar!

Sem falar em Jaime: corajoso, suicida ou maluco? Que vê a Rainha Targaryen auxiliando seu dragão e corre com afinco para matá-la, esquecendo o detalhe de que tem um dragão do tamanho de um castelo atrás dela. Se não fosse Bronn (acho que foi ele mesmo, né?), o Lannister teria virado churrasco de Leão.
Aliás, único ponto em todo o episódio que me incomodou. A água rasa que de repente vira funda e o fato de o fogo de dragão não ter fervido a água e cozido os homens que nela caíram. Beleza, roteiristas, entendemos que não era a hora de Jaime. Mas mesmo assim, sei lá… Aquilo era morte certa, se pensarmos logicamente.

Precisamos falar sobre Tyrion! O anão observa com certa tristeza “seu povo” dizimado em meio a sangue e fogo. Apesar de não ter amor pela casa Lannister, segundo ele próprio, sua preocupação com o irmão em meio à batalha e seu desconforto em ver a zona de guerra deixaram alguns com o pé atrás.

Mas vamos refletir um cadinho, Jaime salvou Tyrion da morte ajudando-o a fugir da Fortaleza Vermelha sem a certeza se o irmão tinha matado Tywin. E apesar dos pesares, eles são irmãos e o ódio da Mão da Rainha é bem direcionado a Cersei. Eu particularmente não concordo com quem disse que foi um olhar de “quem vai dar pra trás”, não é segredo pra ninguém que Tyrion é político e não militar. Ver pessoas morrendo queimadas não é agradável, e a expressão dele é a representação disso.

Veredito

Um episódio curto, eletrizante e cheio de reencontros. Todos os elementos que gostamos de ver em Game Of Thrones estiveram presentes: referências muito bem construídas, diálogos interessantes e claro, batalha épica e extremamente coerente. A guerra se equilibra novamente.

Sem dúvidas o melhor episódio da temporada até agora, com tempero certo. Assisti com o coração na mão e tive todas as sensações que um bom show de tv deve proporcionar: emoção, tensão, surpresa e satisfação. Se a temporada seguir assim, a Longa Noite vai arrasar a gente ainda mais. Como esperar pelo próximo episódio?

Dá pra levar um pedaço dos Sete Reinos pra casa com nossos produtos clicando aqui e também conferir o teaser do próximo episódio, que promete mais dragão pra gente, se liga: