10 curiosidades sobre Mario Quintana para você dar o maior valor !

Viemos aqui para falar de curiosidades sobre Mario QuintanaUm poeta, tradutor e jornalista brasileiro, considerado um dos maiores do século XX. Conhecido como “o poeta das coisas simples”, pra quem não é enturmado, a obra desse autor vale muito a pena.

Quintana é um mestre com as palavras, transforma suas impressões e pensamento em versos tão profundos e singulares como se pode ser. A poesia, embora considerada por ele “um vício triste”, foi sua maior companheira. Vivia por pensar por crônicas, e fazendo analogias com sua vida e com o que fazia.

O autor não gostava de intermediários. Em um poema diz que não gosta de padres e canudinhos de refresco. O poeta também não curtia usar máquinas de escrever. A máquina, no fundo, também era uma intermediária entre ele e o papel. Por isso escrevia à mão. Brasileiro e mestre como esse precisa ser lembrado sempre, e pra isso que tal saber umas curiosidades sobre Mario Quintana?

Confira aqui 10 curiosidades sobre Mario Quintana

 

01. Um exímio tradutor

Traduziu mais de 130 obras da literatura universal, entre elas “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, “Mrs Dalloway”, de Virginia Woolf, e “Palavras e Sangue”, de Giovanni Papini.

02. Viveu a vida quase toda em quartos de hotéis  

Mario Quintana não se casou nem teve filhos. Entre os anos de 1968 e 1980, residiu no Hotel Majestic, no centro histórico de Porto Alegre, de onde foi despejado por problemas financeiros. Na ocasião, o comentarista esportivo e ex-jogador da seleção Paulo Roberto Falcão cedeu a ele um dos quartos do Hotel Royal, de sua propriedade. A uma amiga que achou pequeno o quarto, Quintana disse: “Eu moro em mim mesmo. Não faz mal que o quarto seja pequeno. É bom, assim tenho menos lugares para perder as minhas coisas”.

03. O poeta nunca foi aceito na Academia Brasileira de Letras

O poeta tentou por três vezes uma vaga à Academia Brasileira de Letras, mas em nenhuma das ocasiões foi eleito. Diante das negativas, escreveu o “Poeminha do Contra”, uma resposta bem humorada e sarcástica ao injusto descaso dos imortais da academia.

Poeminha do Contra

“Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão… Eu passarinho!”

Ao ser convidado a candidatar-se uma quarta vez, e mesmo com a promessa de unanimidade em torno de seu nome, o poeta recusou.

04. Manuel Bandeira dedicou-lhe um poema, onde se lê

Meu Quintana, os teus cantares
Não são, Quintana, cantares:
São, Quintana, quintanares.
Quinta-essência de cantares…
Insólitos, singulares…
Cantares? Não! Quintanares!

05. Personalidade ácida

No  lançamento de seu livro, em Porto Alegre, um político abraçou Mario Quintana efusivamente e, tratando de demonstrar intimidade, falou para que todo mundo ouvisse:

“Gosto muito dos seus versinhos!”

E o poeta, que era rápido no gatilho, respondeu: “Obrigado pela sua opiniãozinha!”.

06. Primeiro emprego como empacotador

Mario Quintana começou a trabalhar na Livraria do Globo aos 18 anos, em Porto Alegre. Inicialmente na função de desempacotador de livros. Anos depois ele compôs, com Henrique Bertaso, Erico Verissimo e Mauricio Rosenblatt, o quarteto que transformaria a livraria, até então modesta, na lendária Editora Globo.

07. Participou ativamente da revolução de 1930

Doce no trato e no temperamento, não deixava de surpreender: na revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas ao poder, se apresentou como voluntário e marchou para o Rio de Janeiro, onde integrou o 7º Batalhão de Caçadores de Porto Alegre. Era o encarregado do diário da tropa.

08. A obra literária de Mario Quintana é composta por mais de cinquenta livros

O primeiro foi publicado quando o escritor tinha 34 anos, “A Rua dos Cataventos”, um de seus títulos mais conhecidos. O último livro, “Velório sem defunto”, foi publicado quando o poeta já contava com 84 anos, em 1990.

09. O autor era conhecido como “Poeta das singelezas”

Uma das curiosidades sobre Mario Quintana é a linguagem que ele utilizava em seus textos. Simples, fluida, introspectiva e, muitas vezes, irônica. Temas como o amor, o tempo, a natureza são os preferidos do poeta.

Mário foi um ávido leitor e escritor. Escreveu obras poéticas e infanto-juvenis.

10. Bem humorado e simples

Sua sobrinha Elena Quintana uma vez contou um causo onde seu tio, Mario Quintana, na cama do hospital, após quebrar o fêmur ao ser atropelado, perguntou: “Elena, anotaste a placa daquele carro?”. E ela, constrangida, explicou-lhe que não, pois o motorista que o havia atropelado era quem o estava levando ao Hospital de Pronto Socorro e que, portanto, não era o caso de registrar ocorrência policial.

Ao que o poeta, impaciente, arrematou: “Mas quem é que está falando em registrar ocorrência, Elena? O que quero é que anotem a placa para jogar no bicho!”.



Aí! Estamos cada vez mais apaixonados por esse autor maravilhoso e essas incríveis curiosidades sobre Mario Quintana.

Pra mais assuntos como esse, fica de olho aqui no Blog!

Comentários (0) Tags: No tags