O que a cerveja artesanal tem de tão especial?

A cerveja foi descoberta há 10.000 anos na Mesopotâmia, atual região do Iraque. O novo estilo de vida dos nômades desencadeou na Revolução Agrícola, assim que eles resolveram se estabilizar. A alimentação era baseada em grãos e a estocagem desses alimentos fez com que surgisse a história da cerveja: alguém esqueceu, em um jarro, vários grãos; o tempo passou… até que um curioso percebeu a mudança do ingrediente no jarro e resolveu experimentar.

Depois de ser incluída na alimentação dos povos da Mesopotâmia, as técnicas e formas de produção da cerveja foram se espalhando pelo mundo inteiro e ganhando diferentes características.

As cervejas entraram no Brasil em 1808 com a chegada da família real, já as famosas cervejas artesanais foram surgir no país na década de 90, com a construção de diversas cervejarias. O papel assumido hoje por essas cervejas é diferente do passado. Os processos, ingredientes e técnicas possuem um padrão que engloba a união entre qualidade e criatividade.

Mas, para entender melhor tudo isso temos que conhecer um pouco mais sobre os componentes que formam esse líquido precioso. Os ingredientes básicos são: o malte, a água, a levedura e o lúpulo. Dá para perceber que se soubermos a função de cada um, teremos quase que uma bebida personalizada, e é exatamente essa a proposta por trás das cervejas artesanais.

A cevada é a escolhida para uso nas cervejas artesanais, ela tem a responsabilidade de ser um grão com mais qualidade para o produto, e depois que passa por alguns processos (o grão é umedecido e quando os brotos começam a aparecer sua germinação é interrompida) torna-se um item 100% malte. Assim, quanto mais torrado o grão fica mais amargo acaba se tornando. O malte é responsável, também, pela coloração e pelo corpo do líquido; já a água influencia no estilo das cervejas (antigamente o local das cervejarias era escolhido visando a maior proximidade possível dos mananciais).

lúpulo é uma flor da planta humulus lupulos e confere aroma, amargor e sabor para a receita, promovendo o equilíbrio entre os ingredientes . Mas a mágica realmente acontece por causa da presença das leveduras (fungos), existem alguns fungos do tipo Ale e os do tipo Lager. Eles são designados para comer os açúcares produzidos pelo malte e alguns outros ingredientes, depois desse processo ocorre a fermentação. É durante a fermentação que surge o ÁLCOOL e o CO2 (responsável pelas bolinhas no copo).

O grande barato das cervejas artesanais (e o que realmente faz com que elas tenham virado uma febre), passa pela combinação e equilíbrio desses ingredientes somados a outras possibilidades que conferem singularidade para cada uma delas – mel, frutas, flores, canela,uma infinidade de possibilidades, que agregam sabor tornando cada produção ímpar.

O preço um pouco mais salgado das cervejas artesanais – mesmo com o Brasil ocupando terceiro lugar no ranking de maior produtor de cerveja no mundo – pode ser explicado por diversos fatores:

  1. Falta variedade nos maltes, já que no nosso país é fabricado o Malte Pilsen – as grandes maltarias que tem mais diversidade em suas produções estão localizadas nos Estados Unidos e na Europa;
  2. Água (de uns tempos para cá não tão abundante e por isso mais cara);
  3. A produção de lúpulo é complicada por causa do clima do país, mas já exite (98% do lúpulo usado no Brasil no ano passado veio da Alemanha – 55% – e dos Estados Unidos – 43%);
  4. Custos altos para a abertura de fábricas pequenas graças ao alto valor dos impostos;
  5.  As cervejas artesanais brasileiras custam, em média, três vezes a mais que as industriais, já nos EUA essa diferença de preço é de 50%.

Vale lembrar que nem TUDO está perdido: a variedade de ingredientes que podem ser combinados com as cervejas é enorme, e nos possibilitam brincar e explorar mais a criatividade na hora da produção (autenticidade tá sempre na moda). E se você se sentiu mais inspirado depois desse post, saiba que é possível agendar visitas em algumas das cervejarias artesanais espalhadas por Minas Gerais e de quebra experimentar alguns sabores. Não importa onde, quando e nem como, aqui ou acolá um copo de cerveja é, e sempre será, bem- vindo.

Salut!