O mundo precisa de David Fincher

Alguns diretores deveriam ser obrigados a lançar um filme por ano. Em tempos em que vemos fórmulas sendo repetidas à exaustão, remakes desnecessários, continuações manjadas e a trinca “tiro, porrada e bomba” em três dimensões pra todo lado, saber que teremos garantidas algumas pepitas no meio do caminho seria um alento e tanto.

Como a vida não é moleza, precisamos conviver com hiatos infindáveis justamente dos melhores. Para ilustrar a máxima, Michael Bay dirigiu seis “pérolas” nos últimos 10 anos, enquanto o último filme de Christopher Nolan, The Dark Knight Rises, completou dois anos e seguimos contando. Puta mundo injusto, não é verdade? Brincadeiras à parte, é de se imaginar que bons filmes necessitem de tempo para sua realização, afinal, não estamos falando de receitas prontas. O barato da coisa é saber que eles somem, mas voltam um dia!

E para nossa alegria, quem deu as caras nas últimas semanas foi David Fincher. Garota Exemplar (Gone Girl), novo longa do cara, que é um dos meus diretores preferidos, estreou em terras tupiniquins no último dia 2 de outubro, enquanto se mantém imbatível no topo das bilheterias ao redor do mundo há algumas semanas.

Playlist da Zoropa

Pop, retrô, sincero e ousado! Sim, as dicas de rei desta semana precisam entrar imediatamente para sua jukebox. Dois artistas que estão literalmente reinventando o modo de fazer música.

Primeiro as damas… Amanda Jenssen! Conheci o som dessa loiraça sueca através da trilha sonora da nova temporada de American Horror Story. Não resisti à sedutora voz rouca desta jovem cantora que ficou conhecida na edição 2007 do programa “Idol”, em sua terra natal. Com várias pitadas de folk e rockabilly, o som é uma poderosa mistura de Adele, KT Tunstall e Juliette Lewis.

Nossa vida e lar multifuncionais

Pare e pense: quantos papéis você assume todos os dias? Filho, às vezes pai ou mãe, estudante, funcionário/chefe, namorado (a), amigo (a) fiel. Tudo isso em uma só pessoa. Agora, acrescente isso tudo na correria do dia-a-dia. Quer saber? Melhor não parar para pensar, senão desanima.

Seguindo a mesma tendência corrida e prática, as casas de hoje estão tendo que se adaptar da mesma maneira. Já explico. Pense na planta da casa de seus avós. Acertei se existia ou existe sala de jantar, sala de TV, sala de estar, área de serviço, lavabo, banheiro social, suíte, etc? Pode até ser que todos esses itens não entrem, mas garanto que pelo menos três desses apareceram.

Hoje em dia, a menos que você tenha a chance e a grana de construir uma casa do seu jeito, com o espaço que você deseja, as opções que te restam são os chamados “apertamentos”. Apês com espaços cada vez menores que te obrigam a ter um lar mais prático e multifuncional. Costumamos ver em anúncios de imóveis “sala dois ambientes”, que nada mais é que uma sala comprida que tem que ser sala de jantar/TV/estar.