Musicaholics

Algumas pessoas nascem com o poder de transformar qualquer projeto em sucesso…

Inquietos por natureza, estes três monstros da música colocam a essência de suas almas em cada nota de suas canções e quando estão no palco são capazes de engolir multidões com performances avassaladoras. E ainda assim possuem uma necessidade de fazer diferente sempre. A expressão “zona de conforto” simplesmente não existe para estes caras. Eles não sabem a diferença entre trabalho e lazer, portanto estão sempre criando, compondo, tocando, produzindo e se aventurando inclusive além da música. Eles são musicaholics.

True Detective e a virada de jogo das séries

Se você passou os últimos meses ligado no mundo do cinema e das séries, é mais do que provável que o nome True Detective tenha entrado em seu radar, isso se já não tiver assistido. A primeira temporada da série da HBO, predicado que já garante olhares diferenciados sobre ela, chegou ao fim em meados do primeiro semestre, deixando uma ótima impressão e aquele vazio que acompanha os fãs no período que separa uma temporada e outra.

Acontece que True Detective chama a atenção para um fenômeno que tem se mostrado cada vez mais evidente: as produções para TV estão, em vários sentidos, tomando o lugar da sétima arte. A série da HBO reforça o debate com argumentos pra lá de convincentes. A lista de qualidades começa pelo elenco: Matthew McConaughey, oscarizado por Dallas Buyers Club, filme que é rara exceção nos dias de hoje, e Woody Harrelson, duas vezes indicado ao Oscar, interpretam a dupla de protagonistas.

Detalhes que fazem a diferença

Finalmente chegou a tão sonhada hora de ter um lugar para chamar de seu. Ou não. Ou você só está mesmo enjoado da decoração do seu quarto, que já dura uns 10 anos. Ou então você é tão apaixonado por decoração (como eu) que está sempre em busca de novidades e inspirações… Bom, não importa o motivo. A verdade é que a internet está aí para despejar milhares e milhares de ambientes super bem decorados, que fazem você suspirar a cada imagem.

Infelizmente, muitas das coisas representadas nesses ambientes não são viáveis, seja por questão financeira ou territorial mesmo (sites gringos que não entregam no Brasil ou aquela cômoda linda que não dá para vir pelos Correios). Enfim, essas minhas andanças por todos esses sites, revistas e portais de conteúdos me fizeram refletir sobre algumas coisas.

Uma delas é que mesmo que eu morra de amores por um sofá laranja maravilhoso, a condição da minha vida real não me permite optar por ele na minha sala de estar. Explico por que: esse laranja talvez seja a cor da moda e reflita exatamente sua fase de vida agora, maaaas, daqui a um tempo, você vai ficar pensando “o que eu estava pensando quando gastei uma fortuna nesse sofá?”. Se a grana der para um novo estofamento ou para um novo sofá, perfeito! Agora, caso contrário…

Por essas e por outras, na minha casa sempre opto por inovar nos objetos. E aí vai uma lista do que você pode dar um tchan na sua sala/quarto/escritório gastando pouco e podendo enjoar com a frequência que quiser:

Para fazer bonito

“Bonito” é nome próprio no Mato Grosso do Sul porque o adjetivo é muito pouco para um lugar tão espetacularmente espetacular. Nessas andanças que busco para me achar, Bonito, a cidade, é, sem dúvidas, o destino de ecoturismo mais completo que já encontrei.

Não à toa, as atrações precisam ser marcadas com muita antecedência. Todos os passeios devem ser acompanhados por guias cadastrados, uma maneira bacana que a administração da cidade encontrou de controlar o acesso e respeitar a biodiversidade do local. Ou seja, desavisados e desligados, como eu, correm um risco danado de ficar de fora das atrações.

Peguei um avião para Campo Grande – MS, e para moleque criado nas montanhas de Minas, pousar em terras tão planas – e finalmente entender a tal da planície das aulas de Geografia – já foi uma baita novidade. De lá, peguei uma van até Bonito e chegando à cidade, passamos pelo local de treinamento para o Abismo Anhumas, uma das atrações que eu não havia conseguido vaga.