Jogos para reunir os amigos não-gamers

Que tal fazer uma reuniãozinha com os amigos na sexta à noite para jogar videogame? Isso mesmo, você não leu errado, videogame sim. Todo bom gamer sabe a dificuldade que passamos para tentar explicar o quanto é divertido um bom joguinho ou o porquê de ficar horas olhando para a televisão. Pois bem, eu acredito que não existe pessoa que não goste de videogames, existe sim um estilo de jogo que pode agradar desde seu amigo micareteiro até sua amiga baladeira.

Nesse post farei uma lista de jogos que irão divertir até os mais avessos aos jogos eletrônicos. Não digo que irá transformá-los em jogadores viciados, mas pelo menos irá proporcionar grandes gargalhadas e uma noite bem divertida.

The Voice Brasil: A Estreia da Terceira Temporada

Começou na última quinta-feira a terceira temporada do The Voice Brasil, o maior show de talentos brasileiro depois dos calouros do Raul Gil. Se você dormiu, ficou sem luz, bebeu demais e não conseguiu acompanhar ou só quer relembrar o que rolou na noite de estreia, aqui vai um resumo totalmente imparcial. #sqn

O primeiro dia de Audições contou com 12 apresentações e duas novidades: a primeira é o Segunda Chance, onde ex-participantes que não foram aprovados nas primeiras edições do programa ganham uma nova oportunidade. A segunda é a “Cortina Fechada”, onde o participante se apresenta atrás de uma cortina e ninguém consegue ver, nem os técnicos e nem o público. É como se a gente ficasse na pele dos técnicos, tendo que julgar só pela voz.

Ah, e tem cara nova também esse ano: A Fernandinha Souza agora faz parte do time e NÃO, ela não foi cantar um sucesso das Chiquititas (ahhhhh :/), mas sim fazer entrevistas, abraçar os parentes dos participantes, esfregar a beleza dela na nossa cara, aquelas coisas.

Com M maiúsculo!

Já teve a experiência de se surpreender com a performance ao vivo de algum artista que parecia possuir uma poderosa energia capaz de transcender as fronteiras da música, provocando sensações sinestésicas e uma troca envolvendo intensamente o público? Sabe aquele show que deixa todo mundo de queixo caído? Daqueles que conseguem fazer um estádio inteiro vibrar numa mesma sintonia? Tudo bem, sei que estas perguntas podem parecer meio nonsense a princípio, mas fato é que existem alguns (poucos) casos em que isto acontece. É como se alguns músicos fossem como antenas capazes de captar e sentir a melodia de forma mais forte, canalizando, amplificando e retransmitindo este sentimento para a plateia como se deles emanasse uma nova aura.

Tive o privilégio de assistir a algumas apresentações que marcaram para sempre o modo como eu enxergava (e ouvia) música e após refletir um pouco sobre o assunto achei que devia compartilhar isso com vocês.

Quem gosta de Florence + The Machine, Ben Harper, Pearl Jam e R.E.M. sabe do que eu estou falando. Basta assistir, mesmo que seja em casa, alguns minutos dos shows destes artistas para começar a entender. É como se eles carregassem uma espécie de luz interior capaz de revigorar e transformar o astral de todas as pessoas. O nível de entrega é completo e o público se contagia sentindo-se revigorado. Para eles a música é uma entidade sagrada, com nome próprio e começa com M maiúsculo.

Folk pra ver e ouvir

Como todo amante de música, sofro daquela fixação em determinada banda ou estilo por um período que pode variar de dias, semanas ou até meses. Nos últimos tempos, tenho dado mais atenção do que nunca ao Folk e suas vertentes, indo de Bob Dylan ao novato Jake Bugg, passando por Donovan, meu ídolo Johnny Cash e alguns ótimos grupos de Bluegrass. No fim, a curiosidade acaba falando mais alto e não consigo me prender apenas ao som, gastando também um bom tempo entre leituras e pesquisas sobre o estilo. E foi justamente nesses momentos de estudo que “descobri” dois filmes que imediatamente entraram para minha lista de favoritos.

O primeiro deles é Once, que no Brasil recebeu o título Apenas Uma Vez. Lançado em 2007, trata-se de uma produção irlandesa independente, com orçamento modesto, encabeçada pelo diretor e roteirista John Carney. O enredo acompanha um músico de rua que conhece uma imigrante pianista e começa com ela uma colaboração musical inesperada. Inspirado pela nova amiga, o protagonista ruma para a última cartada em sua carreira.