Quem com fezes fere, com fezes será ferido!

Pense na cruza entre um São Bernardo e um Lulu da Pomerânia… Não há vaselina no mundo que faça “as coisas” se encaixarem. Mas se algum geneticista insistir na hibridização, teremos fruto certo: a discórdia. Transladando ao homo sapiens: Kid Bengala fornicando com Jyoti Amge – 63 cm; recorde Guinness de menor mulher do mundo. Deus! Não escrevi isso! Desconsidere, só queria analogias perfeitas, iniciando uma dissertação sobre Noções Particulares de Realidade.

Vamos lá: um tema aleatório, porém polêmico; e duas pessoas se digladiando verbalmente em torno dele. Por conta de suas raízes, o interlocutor à esquerda leva uma peixeira na cintura. Já com os testículos arrastando no chão, por tanta asneira bosteada pelo da direita… Desembainha a faca, avança e… PAROOUUU! Não há sangue que justifique uma discussão. A constituição de valores dum não é superior a doutro: são apenas distintas. Não há punhalada no bucho que eleve as faculdades de convencimento e persuasão.

De certo, o defunto chegará no céu, ou no inferno, convicto de que ganhou o bate-boca. Antes da passagem, o morto construiu valores desde a infância, numa redoma regionalista, aditivados no vindouro universo acadêmico e profissional. Nesse liquidificador de autoconhecimento, o esfaqueado veio àquele fatídico dia com uma opinião formada. Tão dura quanto a do assassino, oriundo de liquidificador completamente adverso – nem melhor, nem pior… Apenas diferente!

É onde habitam certos dilemas da contemporaneidade, insufladores de debates, cujo subproduto é delicado: a propagação do discurso de ódio. Se seu referencial de conhecimento é incompatível com o Pabllo Vittar ter um pinto, e ao mesmo tempo se reconhecer feminino no espelho… Não tens o direito de ventilar fezes nas redes sociais – preconcebendo análises a partir de suas Noções Particulares de Realidade. Por outro lado… Se seu referencial comporta aquela imensa bunda do Pabllo, cabendo perfeitamente numa mulher, num homem, ou num gênero específico… Não tens o direito de, com o mesmo ódio, taxar quem discorda inimigo da revolução libertaria que já grita aos nossos olhos.

Discussões são saudáveis, até o ponto em que o calor cega as partes. Impossibilitando perceber que, às vezes, os envolvidos têm apenas edificações diferenciadas. Diálogos combativos, onde não existe afinidade discursiva, trazem a agressão como efeito colateral. Há muito álcool a se ingerir e gargalhadas pra gastar, mesmo nos colóquios com pessoas construídas num mundo distante ao seu… Numa galáxia onde o São Bernardo também não transa com o Lulu da Pomerânia.

Sobre o Escriba: ainda matutando sobre a infeliz analogia entre Kid Bengala e Jyoti Amge, com seus 63 cm de altura. Owww Fuck…! 63 cm deve ser só o tamanho do Kid… PAROU, PAROU, PAROU…!

Comentários (0) Tags: No tags