Capas de Discos em GIF

Em plena era digital, em meio a iTunes, Spotify e Grooveshark dando “livre acesso” a milhões de músicas, não faz mais tanto sentido comprar um CD somente por causa do encarte, não é mesmo? A música está em constante movimento obrigando o mainstream a se reinventar a cada segundo. A arte também acompanha este processo. E é exatamente este movimento que inspirou o trabalho do britânico JBet que resolveu usar tecnologia para animar as capas de álbuns clássicos transformando-os em divertidos GIFs.

A brincadeira viralizou e o Tumblr do cara já conta com milhares de compartilhamentos em apenas poucas semanas de existência. O registro de uma foto ou ilustração acaba tomando novas proporções quando o artista destaca asnuances e perspectivas não estáticas que dialogam com a estética e com o conteúdo do álbum. O artista tem postado novidades diariamente a partir das sugestões dos seguidores. Dentre os homenageados estão Nine Lives do Aerosmith, Hello Nasty dos Beastie Boys, Random Access Memories do duo francês Daft Punk, The Dark Side of the Moon do Pink Floyd, além de Led Zeppelin, Kings of Leon, Blur, Metallica e vários outros que você confere abaixo:

4x Alain Johannes

Você PRECISA conhecer o som desse cara!

Dono de um currículo invejável, o músico, empresário, compositor AND produtor norte-americano, Alain Johannes é responsável pelo sucesso de grupos e artistas como Queens of The Stone Age, Pearl Jam, Chris Cornell, Mark Lannegan, Eleven, Jimmy Eat World, Them Crooked Vultures, Brody Dalle, entre outros.

Na estrada há mais de 30 anos, o cara é garantia de sucesso quando o assunto é composição. Seus arranjos são ricos em melodias dissonantes e vocalizações soturnas. Se ele é versátil? Imagina… Confira os vídeos abaixo (sim essas músicas são todas dele) e vai entender a essência do brilhantismo desta fera.

Com M maiúsculo!

Já teve a experiência de se surpreender com a performance ao vivo de algum artista que parecia possuir uma poderosa energia capaz de transcender as fronteiras da música, provocando sensações sinestésicas e uma troca envolvendo intensamente o público? Sabe aquele show que deixa todo mundo de queixo caído? Daqueles que conseguem fazer um estádio inteiro vibrar numa mesma sintonia? Tudo bem, sei que estas perguntas podem parecer meio nonsense a princípio, mas fato é que existem alguns (poucos) casos em que isto acontece. É como se alguns músicos fossem como antenas capazes de captar e sentir a melodia de forma mais forte, canalizando, amplificando e retransmitindo este sentimento para a plateia como se deles emanasse uma nova aura.

Tive o privilégio de assistir a algumas apresentações que marcaram para sempre o modo como eu enxergava (e ouvia) música e após refletir um pouco sobre o assunto achei que devia compartilhar isso com vocês.

Quem gosta de Florence + The Machine, Ben Harper, Pearl Jam e R.E.M. sabe do que eu estou falando. Basta assistir, mesmo que seja em casa, alguns minutos dos shows destes artistas para começar a entender. É como se eles carregassem uma espécie de luz interior capaz de revigorar e transformar o astral de todas as pessoas. O nível de entrega é completo e o público se contagia sentindo-se revigorado. Para eles a música é uma entidade sagrada, com nome próprio e começa com M maiúsculo.

Musicaholics

Algumas pessoas nascem com o poder de transformar qualquer projeto em sucesso…

Inquietos por natureza, estes três monstros da música colocam a essência de suas almas em cada nota de suas canções e quando estão no palco são capazes de engolir multidões com performances avassaladoras. E ainda assim possuem uma necessidade de fazer diferente sempre. A expressão “zona de conforto” simplesmente não existe para estes caras. Eles não sabem a diferença entre trabalho e lazer, portanto estão sempre criando, compondo, tocando, produzindo e se aventurando inclusive além da música. Eles são musicaholics.