Loja

Freddie Mercury faria 73 anos: voltamos à lendária noite do Rock in Rio de 1985!

Na noite de 11 de janeiro de 1985, um momento mágico aconteceria na primeira edição do Rock in Rio. Freddie Mercury, o Queen e a plateia seriam os protagonistas...


• 2 mins de leitura
Freddie Mercury faria 73 anos: voltamos à lendária noite do Rock in Rio de 1985!

Era noite de 11 de janeiro de 1985.

Com 38 anos, Freddie Mercury protagonizaria momento ímpar na história do rock.

No auge, o Queen era a principal atração da primeira noite do primeiro Rock in Rio. Entre os sucessos do setlist estava Love Of My Life.

Em rara sinergia entre público e banda, a música inteira foi entoada - ou esgoelada - pelas cerca de 300 mil vozes ali presentes.

Naqueles breves minutos, o vocalista se transformou em maestro, guiando as notas da plateia.

O volume do coro era tão alto que dava pra ouvir lá de Mercúrio;

Se algum dos presentes portasse um termômetro de mercúrio, ele provavelmente estouraria com o calor humano ali presente;

Naquela noite, Freddie poderia afirmar, seguramente, que o canto daquela cidade era seu, assim como a jovem Daniela faria dali a sete anos, a uns mil e seiscentos quilômetros ao nordeste.

Na língua inglesa, o planeta e o elemento químico utilizado para medição de temperatura se chamam mercury, como o sobrenome artístico da cantora brasileira (na certidão, era Mercuri, com I e sílaba tônica obscena).

Falando em certidão, o nome de batismo do vocalista do Queen era Farrokh Bulsara, alterado legalmente para o que você e eu conhecemos na década de 70. Com todo o respeito que o planeta, o metal e, principalmente, a cantora soteropolitana merecem, ao ouvirmos ou lermos o vocábulo Mercury, a figura projetada na mente não é a de nenhum dos três.

Se em 45 anos Freddie Mercury foi capaz de mudar a música para sempre com seu estilo totalmente autêntico, não dá para imaginar o que seria o mundo hoje caso ele ainda estivesse por aqui. Neste 5 de setembro, completaria 73 voltas em torno do Sol.

Dominava o palco como ninguém. Compunha hinos de alta complexidade musical. E, segundo pesquisadores, tinha cordas vocais que vibravam muito mais rápido do que as da maioria das pessoas.

Nada aqui escrito ficará à altura de Freddie. Então, me despeço com palavras da própria lenda, presentes na biografia A Life, In His Own Words:

"Adoro o fato de fazer as pessoas felizes, de qualquer forma. Mesmo que seja apenas em meia hora de suas vidas, eu posso fazê-las se sentirem com sorte ou fazê-las se sentirem bem, ou trazer um sorriso a um rosto azedo. Isso para mim vale a pena."

E como vale.

God save Freddie Mercury!

God save the Queen!

God Shave The Queen!


Tags

freddie mercury, queen, rock, musica, rock in rio, love of my life, 1985