Santiago: ir ou não ir, eis a questão!

Com os dedos prontos para caminhar pelo teclado e digitar sobre Santiago, bateu uma dúvida na cabeça: o quanto vale conhecer a capital chilena? A terra de Pablo Neruda não tem a noite de Bogotá, nem o tempero da comida portenha, tampouco a calmaria de Montevideo**.  Se fosse uma competição de qual capital na América do Sul visitar, onde estaria Santiago em minha lista?** Na largada estaria nas cabeças! A receptividade e o carinho transbordam pelo povo, com tranquilidade e simpatia de sobra quando nós, perdidos por aquelas terras, precisamos

Colômbia: o risco é querer ficar!

Largando a hipocrisia de lado, se alguém perguntasse o que me vinha à cabeça sobre Colômbia, a resposta na ponta da língua falaria sobre as FARC, cocaína e zefini! Mas por aqui bate um coração que, com todo o respeito aos tupiniquins, adora o risco de um programa de índio, sempre na esperança de surpresas alegres. Com aquele preconceito sobre a terra de Gabriel García Márquez, tomei voo pra lá. Fui primeiro parar em Cartagena das Índias, que fica ao norte de nosso continente, no mar do Caribe. Já era

Buenos Aires é a pelota da vez!

Buenos Aires é cosmopolita, tem sangue correndo nas veias, cultura pulsante e alfajor. Então se você tiver dois BigBig e uma mariola no bolso, dá um pulo em alguma companhia aérea e compre seu voo pra lá. Desde que a moeda local virou peso pena, bater pernas pela cidade tem sido uma experiência mais econômica que provavelmente qualquer capital brasileira. Que por aquelas terras tem tango pra dar e vender, um dos melhores churrascos da via láctea e arquitetura colada na Europa você certamente já sabe, então vou dar uns

A paz invadiu Machu Picchu

Viajar é sinônimo de conhecer o novo. E a novidade me pega de qualquer maneira, pelos olhos, pés, boca ou por sensações que não sei bem como explicar. E a paz de estar Machu Picchu é, para mim, inexplicável. Assim como fica inexplicável para meus amigos o motivo de eu ter passado por lá três vezes nos últimos anos. Mesmo sabendo que a palavra que traduz meu sentimento por lá é “paz”, ela sempre bate de forma diferente. O caminho até a capital do império Inca é um preparo espiritual