Uma breve história do chocolate

Uma breve história do chocolate, o amor da vida de 9 entre 10 terráqueos de acordo com pesquisa realizada por eu mesma!

Vamo combinar que chocolate é mesmo tudo isso que dizem. O negócio é que o chocolate já nasceu endeusado e vale a pena entender essa história gastronômica de sucesso. Chocólatras, c’mon que tem linha do tempo 😛

1500 a.C.

Queridxs, o chocolate é mais velho que piada de tiozão. Os primeiros registros são de mais de 3000 mil anos e são do cacaueiro, essa árvore maravilhosa e nativa do México.

250 d.C.

Em Puerto Escondido, Honduras, foram encontrados registros que mostram que lá pelo anos 250 era produzida uma bebida alcóolica com base de cacau e que era consumida só pela nata das sociedades centro-americanas.

900 d.C.

Registros da semente de cacau sendo processada e transformada em pasta com outras especiarias para ser oferecida aos deuses datam de mais de 1000 anos. Tábuas da civilização asteca mostram que o chocolate era inicialmente utilizado para fins cerimoniais e depois se popularizou entre a elite nativa.

1400 d.C.

Nessa época, os astecas dominaram a civilização maia e suas culturas se misturam. O cacau ganhou tanta importância na civilização maia, que sua semente passou a ser utilizada como moeda e em alguns lugares da região essa prática se perpetuou até o século XX!

1500 d.C.

Em 1502, nosso conhecido Cristóvão Colombo tava passeando por Honduras em sua quarta viagem e abordou algumas canoas nativas que, entre outras especiarias, carregavam sementes de cacau. Pra ele aquilo ainda era um mistério, mas percebeu que a carga parecia valiosa para os nativos.

Só lá em 1519 Hernán Cortés (esse jovem senhor da foto) conquistou os Astecas e descobriu os encantos do chocolate #vemeurotrip.

1520 d.C.

O cacauhatl (água de cacau) ou xocoatl (água amarga) que era cacau adoçado com mel e várias tretas cai nas graças dos invasores que querem logo mandar essa delícia pra casa. Em 1521 um navio cheio de semente de cacau parte pra Espanha, é a primeira vez na história que a iguaria vai ser consumida fora das Américas.

1600 d.C.

E aí pessoal, que em menos de 100 anos a galera da Europa já tava viaciadíssima e até a rainha da Áustria fica louca e fala: “Manda mais que tá pouco!”. Brincadeiras à parte, o chocolate passa a ser consumido também como doce nessa época, além da bebida e as primeiras “cocolatarias” surgem ao estilo cafeteria.

1800 d.C.

Um espertão, o holandês Conrad Van Houten inventa uma mecanismo pra extrair a manteiga do cacau e galera começa a industrializar a produção do chocolate. A J. S. Fry & Sons, na Inglaterra, foi a primeira chocolataria a vender chocolate em barra, beeem mais amargo do que ao leite que todo mundo come por aí hoje em dia.

1873 d.C.

Em 1873 os amigos da Fry & Sons inventam o (supervalorizado) Ovo de Páscoa que acabou virando febre mundial até hoje. Esse povo inventa cada coisa…

Mais de 30 anos depois surge a primeira fábrica de chocolates brasilaira, a Neugebauer fundada por imigrantes alemães lá no Sul do Brasil, tchê.

1900 d.C.

A Walter Baker & Company mistura gordura do cacau com baunilha, açúcar, leite e tudo que há de bom e então nasce o maior divisor de opiniões de todos os tempos: o chocolate branco. Amar ou odiar?

Ah e até meados de 1920 o Brasil ocupou o título de maior produtor de cacau do mundô, segura essa moral @.

Década de 30

Reconhecido por ser antidepressivo, energético e estimulante, o chocolate entra como ração para os soldados norte-americanos na Segunda Guerra.

Nessa mesma época nascem delícias como o Diamante Negro, o Sonho de Valsa e o Bis e o brasil se torna um país mais feliz rs.

Década de 50

O famoso Nesquik que a gente tanto amava era vendido numa espécie de lata de azeite pela Nestlé.

Em 1954 a caixa amarela de bombons da Garoto que você comeu a vida inteira nascia e contava com cinco sabores diferentes.

Década de 60

A Fantástica Fábrica de Chocolate é escrita por Roald Dahl e conhecemos alguns anos mais tarde Charlie e os Oompa-Loompa no cinema. ÍCONE!

Década de 80

Foi a década mais feliz pra chocólatras, na moral. Lollo, Charge, Amaro, Diplomata, Toblerone… já posso parar?


Década de 90

A icônica propaganda do “Compre Batom” que a gente vê até na aula de marketing hoje em dia, né? Década de 90 pisa menos!

Ah e também nosso artista br Vik Muniz cismou de pintar quadros com chocolate derretido em NY e o resultado ficou bem… uma delícia?

2009

Eles me invetam um chocolate inalável, que vem numa parada que parece um maço de cigarros. Chama Le Whif e cara… muito doido.

2017

80 anos o chocolate branco foi aceito como tipo oficial ao lado do amargo e do ao leite, depois de muita discussão por ele não levar pasta de cacau. Choradeiras da época de bisavôs zzzz.

O tempo passa e passa e a galera vai e descobre uma nova modalidade: o chocolate rubiEle foi desenvolvido pela Barry Callebaut, considerada por especialistas a principal a maior produtora de chocolate de alta qualidade no mundo. O rubi é obtido dos mesmos tipos de amêndoa de cacau, só que seu processo de fabricação preserva os aromas naturais do fruto e garante a naturalíssima – sim, livre de corantes – cor rosada. Segundo a empresa, o sabor dele é diferente de qualquer chocolate que você tenha provado, não é doce ou amargo, mas frutado!

QUERO PROVAR O CHOCOLATE ROSA E VCS?

Pessoas, essa foi uma breve história do chocolate floreada com curiosidades e fotografias delicinhas. Quem gostou vai correndo comprar uma barra (pra mim)\o/