Amigo de bolso cervejeiro Chico Rei

Chegou o dia da cerveja e com ele uma vontade louca de apreciar essa bebida** maravilhosa**. A muito tempo eu venho me perguntando o que seria necessário saber pra ir caminhando por esse mundo da cervejaria.

Será que o que eu bebo é cerveja boa de verdade?  O que será que tem de melhor por aí em em termos acessíveis?

E com essas dúvidas, cheguei para nossos dois parceiros, Lívia Alves escritora e social media do site Etílicos.com e Lucas Wenzel, mestre cervejeiro da São Bartolomeu Cervejaria.

Segue ai pelas perguntas e vamos em busca a insígnia master de beberiqueiro!

1 – Quais são os ingredientes utilizados na fabricação das cervejas?

 Lucas :
As possibilidades são infinitas, a cervejaria São Bartolomeu por exemplo usa mel, abóbora, caju, limão, pão, matte leão, pimenta, doce de leite entre outras coisas. Sempre visando agregar sabor e aroma diferentes para a cerveja.

A cerveja é composta por 4 ingredientes específicos e básicos para a sua composição: água, malte, lúpulo e levedura.

 Lívia** :**
Cada ingrediente tem um papel especifico e fundamental na composição da cerveja. Existem muitas combinações possíveis entre eles, fazendo com que a cerveja tenha diversos estilos, aromas e sabores.

ÁGUA
A cerveja é composta de 90% de água, e ela é um ingrediente muito importante para a qualidade da cerveja. Antigamente muitas pessoas diferenciavam uma cerveja da outra por causa da água que era utilizada para a sua fabricação, mas hoje em dia isso é mito! Porque existem diversos processos químicos e tecnológicos para o seu tratamento, fazendo com que a gente possa produzir qualquer tipo de cerveja, sem mudar as suas características e sabores.

MALTE
O malte e um cereal natural que passa por um processo de germinação, depois ele é ressecado. Esse processo é chamado de maltagem, a transformação do cereal em malte e o tornando mais disponível para a fabricação da cerveja.
Existem vários tipos de malte, e normalmente as receitas utilizam os maltes-base que são os responsáveis pelos principais açúcares, e uma parcela menor de maltes especiais, para dar a coloração, aromas e sabores específicos de cada estilo de cerveja, entre outros atributos.
Mas a função principal do malte é fornecer açúcares e nutrientes como alimento para a levedura.

LÚPULO
O lúpulo é uma flor da família das trepadeiras, e pode chegar até 7 metros de altura. Ele é o tempero e a alma da cerveja, e é rico em óleos essências sendo responsável por dar o amargor, sabor e o aroma da cerveja, e isso varia dependendo da quantidade que será utilizado na fabricação.
Ao contrário do malte, o lúpulo não altera o teor alcoólico e nem o corpo da cerveja. E necessário 40 gramas a 300 gramas de lúpulo para fazer 100 litros de cerveja.

LEVEDURA
A levedura é simplesmente a alma da cerveja, são micro organismos vivos utilizados para a fermentação da cerveja.
É a levedura que transforma os açúcares do malte que são diluídos em água, em gás carbônico para trazer o tsiiiii da cerveja, e claro no álcool!
É o ingrediente mais mágico da cerveja, porque sem ele a gente beberia somente uma água de cevada.
A levedura normalmente ela é líquida ou em pó, e divida em alta fermentação para as cervejas do tipo ALE, e em baixa fermentação para as cervejas do tipo LAGER.

2 – O que é uma cerveja puro malte? Quais são as suas principais características?

 Lucas:
Cerveja Puro malte são as cervejas que usam somente malte em sua produção, o malte é resultado de um processo onde se umedece o grão, aquece e deixa germinar. Quando atinge o máximo de amido é interrompida a germinação e é feita a secagem dos grãos, é nesse processo também que são geradas as enzimas que quebram o amido do malte em açúcar e é esse açúcar que se transforma em álcool e co2 durante a fermentação.

As principais diferenças estão na cor aroma e sabor da cerveja, quando não se usa malte ele é substituído por matérias primas menos nobres e mais baratas, arroz e milho (esse por sua vez não tem estrutura biológica pra virar malte). Esses ingredientes não agregam aroma nem sabor a cerveja, deixando-a mais simples e menos saborosa.

 Lívia:
São cervejas que possuem apenas malte em sua composição, ou seja, ela não possui nenhum outro tipo de grão como milho ou arroz. Ela é composta apenas dos 4 ingredientes principais da cerveja: água, malte, lúpulo e levedura.
Isso não quer dizer que cervejas que não são puro malte, são cervejas ruins! Muito pelo contrário, cada cerveja possui a sua característica que a faz diferente das outras.

No Brasil, a lei permite que as cervejarias utilizem até 45% de adjuntos no lugar do malte
Para entender melhor sobre as cervejas puro malte, é preciso conhecer a lei da pureza alemã de 1516, a Reinheitsgebot.

LEI DA PUREZA ALEMÃ – //etilicos.com/reinheitsgebot-o-que-voce-sabe-sobre-a-lei-de-pureza-alema/

CURIOSIDADES

O Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja mundial! Mas é o 15° em termos de consumo de cerveja per capita.
98% do consumo de cervejas no Brasil é concentrado no estilo de cerveja AMERICAN LAGER, aquela cerveja que chamamos de Pilsen.
O mercado de cervejas artesanais, representa 1,2% do consumo total de cervejas, mas está crescendo a cada dia que passa, com novos entusiastas da cerveja artesanal.
Hoje o Brasil possui mais de 3000 rótulos de cervejas, com mais de 700 cervejarias espalhadas no território nacional, sendo 70 novas cervejarias registradas pelo MAPA só este ano.
A cerveja não engorda, o que engorda é o álcool! A cerveja possui 0% de gordura, reduz riscos de doenças e muito mais
A Bélgica é o país com maior variedade de cervejas no mundo!
Os maiores consumidores de cervejas são os Tchecos, seguidos dos asiáticos, alemães, irlandeses e poloneses, o Brasil está na 15° posição desse ranking.
A cerveja mais antiga do mundo é a alemã Weihestephan, criada em 1040.

MOTIVOS PARA BEBR CERVEJA//etilicos.com/15-motivos-para-voce-beber-cerveja/

3 – Quais são os principais tipos de cerveja?

 Lucas:
As cervejas são divididas em dois grandes grupos as
ALES –  Cervejas fermentadas em torno de 20 graus
LAGGER – Cervejas fermentadas em torno de 12 graus

Os principais subtipos são

Ipa – Cerveja muito aromática e com amargor acentuado ( ALE)
Stout – cervejas pretas podem ser muito encorpadas ou mais leves, em geral tem um sabor que lembra café (ALE)
Pilsen – a mais comum de todas, clara translucida e leve, bem neutra no aroma e sabor e facil de toamar. (LAGGER)
Weiss – cerveja de trigo bem encorpada e aromática, o aroma lembra muito banana e cravo (ALE)
BOCK – tipica cerveja alemã, mais encorpada e escura, sabor caramelizado e amargor baixo (LAGGER)

4 – O copo que se bebe realmente interfere no sabor da cerveja?

 Lívia:
Beber cerveja no copo certo faz com que você tenha uma análise sensorial e uma degustação perfeita da sua cerveja, ou seja, beber cerveja no copo certo é muito importante.

Tipos de copo:

– Lager – perfeito para as cervejas Pilsen, American Lager, Dunkel, Schwarzbier, Vienna Lager
– Tulipa- Ales belgas, Tripel, Lambic, Flanders Oud Bruin, Oude, Red Ale, Saison, Biere de Garde, Americam IPA, Bock.
– Snifter – Barley Wine, Strong Ale, Dopperbock, Imperial Stout, cervejas envelhecidas em barril.
– Goblet –  Ales Trapistas, Belgian Strong Dark Ale.
– Pint –  Ales Inglesas Bitter Ale, Pale Ale, Porter, Stout
– Caneca – Classicas alemã, Helles, Export, Maibock, Oktoberfest, Rauchbier
– Pint Americano – India Pale Ale, Session IPA, American Stout, American Red Ale
– IPA – India Pale Ale, Session IPA
– Weizen – Weizenbier, Weizenbock
– Flute – Bierè Brut
– Caldereta – Lager
– Cilindro – Kôlsh, Altbier
– Tumbler – Witbier

AQUI VOCÊ VAI ENCONTRAR AS FAMÍLIAS CERVEJEIRAS E OS ESTILOS QUE COMPÕE CADA FAMÍLIA – //etilicos.com/dia-internacional-da-cerveja/

5 – Qual a temperatura certa pra se beber uma cerveja?

 Lucas :
A temperatura também influência diretamente no sabor e aroma da cerveja, via de regra as mais alcoólicas são servidas com a temperatura mais altas, algumas chegando a 6 graus no copo, as mais leves e secas produzidas para se tomar em dias quentes para matar a sede são servidas em torno de 1 grau, nunca a abaixo de 0, pois quanto mais fria a cerveja fica menos é a nossa capacidade de sentir seus sabores.

 Lívia** :**
Cada estilo de cerveja, possui uma temperatura ideia para a sua degustação ser perfeita! Portanto existe uma ‘regra’ no Brasil onde cerveja boa é cerveja gelada! Se estivermos falando das cervejas do estilo Pilsen, que sã as cervejas mais consumidas no Brasil, estaremos quase certos, porem existe um limite para o resfriamento.
E se você quer realmente começar a conhecer outros tipos de cervejas, deverá atentar para este assunto de temperaturas.

Muito gelada (de 0 a 4°C): Pale Lagers, cervejas sem álcool e qualquer cerveja que tenha o objetivo de refrescar e não muito a de ser degustada, provavelmente pela qualidade duvidosa

Bem gelada (de 5 a 7°C): Cervejas de trigo claras, Lambics de fruta e Gueuzes.
Gelada (de 8 a 12°C): para Lagers Escuras, Pale Ale, Amber Ale, cervejas de trigo escuras, Porter, Helles, Vienna, Tripel e Bock tradicionoal.

Temperatura de adega (de 13 a 15°C): Para as Ale quadrupel, Strong Ales Escuras, as Stout e a maioria das cervejas especiais Belgas, incluindo as Trapistas. As Bocks mais fortes como a Eisbock e a Doppelbock.

  Lívia também achou importante falar sobre, Harmonização.

A cerveja é uma bebida muito versátil, com isso ela pode ser harmonizada com diversos tipos de comida, trazendo harmonia e sabor. Existem muitas opiniões diversas quando o assunto é harmonização, sendo assim, o que mais devemos levar em conta é o nosso gosto pessoal.
A ideia é que o sabor que sentiremos no nosso paladar seja diferente e melhor, do que fossemos consumir cada um individualmente.
Existem três conceitos básicos para harmonização de cervejas e alimentos.

EQUILÍBRIO

Alimento = cerveja

A cerveja e o alimento do qual você quer harmonizar devem ter a mesma intensidade, para um não sobressaia o outro no paladar.
Cervejas mais delicadas, pedem alimentos mais delicados, e cervejas mais fortes e intensas pedem alimentos mais poderosos e presentes.

CERVEJA: Muito importante observar na cerveja o teor alcoólico (ABV), o IBU (International Biterness Unit) que nada mais é que a quantidade de lúpulo que a cerveja possui, quanto maior o IBU, mais lupulada (amarga) é a cerveja. Caráter do malte, doçura, cremosidade/corpo e tostado.
ALIMENTO: Importante observar a gordura, dulçor, como o alimento foi feito, temperos e condimentos. Tudo isso para que possamos harmonizar o alimento da melhor forma.

SEMELHANÇA

Aroma da cerveja + Aroma do alimento

Quando os aromas da cerveja e do alimentam se assimilam, o resultado final da harmonização será mais intenso. O método do cozimento também é algo para se destacar.

CONTRASTE

Cerveja x Alimento

Elementos específicos conseguem obter um contraste mais harmonioso, fazendo com que a degustação seja surpreendente. Contrates como: Dulçor e acidez, picância e malte e, gordura e álcool são ótimos exemplos.