Amigo de bolso cervejeiro Chico Rei

Chegou o dia da cerveja e com ele uma vontade louca de apreciar essa bebida** maravilhosa**. A muito tempo eu venho me perguntando o que seria necessário saber pra ir caminhando por esse mundo da cervejaria. Será que o que eu bebo é cerveja boa de verdade?  O que será que tem de melhor por aí em em termos acessíveis? E com essas dúvidas, cheguei para nossos dois parceiros, Lívia Alves escritora e social media do site Etílicos.com e Lucas Wenzel, mestre cervejeiro da São Bartolomeu Cervejaria. Segue ai

Boteco como tema de festa: como montar uma fazendo bonito e gastando pouco

Festa de boteco é um bom tema para comemorações de aniversários, chá-bar ou até para uma reunião entre amigos. É super tendência e o melhor: costuma ser bem em conta. No post de hoje, vou mostrar alguns elementos que podem fazer parte dessa festa e causar uma bela impressão! Local: o ideal que seja em um espaço aberto (não necessariamente descoberto), onde caibam várias mesinhas e que seja descontraído. Nada muito elaborado! O que servir: Boteco que é boteco serve cerveja gelada. Mas nada impede você de servir uns bons

5 Filmes Pra Ver no Dia da Cerveja

Como bem disse o filósofo, “era um homem sábio aquele que inventou a cerveja”. Tão sábios foram aqueles que escolheram uma sexta-feira como o dia internacional pra celebrar o néctar dos boêmios. A proeza partiu de quatro amigos californianos que, entre um gole e outro, se questionavam acerca da razão de não haver uma data comemorativa para a cerveja. E como sabemos, no curso da história há grandes decisões que foram tomadas no calor de uma boa bebedeira: de 2008 pra cá, na primeira sexta-feira de agosto é brindado o

Rock de Botas

Hoje resolvi montar uma playlist só com fckn’ rednecks*. Calma, não é country music. É Rock americano nervoso, bruto, rústico e sistemático, produzido no deserto, com distorção no talo, feito pra sacudir o esqueleto, bater cabeça, beber cerveja e extravasar! Se liga nas dicas… Começando com o Clutch, banda de stoner rock conhecida pelas letras engraçadas, irônicas e sarcásticas, fazendo referências à história, mitologia e cultura popular americana. Imagine um Black Sabbath acelerado, com toques de blues (a gaita rouba a cena), soul e hardcore… Típico daqueles palcos apertados em