Sustentabilidade na Moda - Consumo consciente, indústria inteligente!

Que o planeta vem passando por fortes degradações, em função do mau uso dos recursos naturais, que resultam em bruscas alterações climáticas e a falta de água potável em algumas regiões, todos nós estamos cansados de saber, na verdade já estamos sentindo na pele há alguns anos. De um tempo para cá, houve uma conscientização considerável por parte de uma parcela da sociedade, pessoas que observam há tempos as mudanças citadas, que enxergavam algo de errado em todo esse consumo desenfreado. Essa conscientização passou a ser chamada de “sustentabilidade”, um bicho de sete cabeças a princípio, que hoje é imprescindível para o futuro da humanidade. Como a moda sustentável entra nesse meio, é o que você vai ver nesse post!

Sustentabilidade é um termo usado para denominar ações humanas a fim de suprir suas necessidades, sem comprometer o meio ambiente, se preocupando com o futuro de outras gerações e do planeta em si. A ação consiste em um uso consciente e inteligente dos recursos naturais, para que esses sejam preservados e mantidos no futuro. Desta forma, há vários tipos de ações ligadas a este conceito, como por exemplo, o replantio dos recursos vegetais utilizados, uma das mais conhecidas e utilizadas, que consiste em devolver ao meio ambiente os vegetais retirados para consumo em forma de novas mudas.

Além desta, outras ações importantíssimas como a exploração controlada de recursos minerais (carvão, petróleo e minérios em geral) e o uso de energias limpas e renováveis, como a eólica, geotérmica e hidráulica, diminuem o consumo de combustíveis fósseis e preservam as reservas minerais, além de baixarem o teor de poluição do ar. A contaminação dos recurso hídricos talvez seja o mais preocupante. Uma gestão sustentável pode auxiliar no desperdício da matéria-prima e no desenvolvimento de produtos com baixo consumo de recursos hídricos. Por fim, a não poluição de reservatórios de água e a despoluição dos que já se encontram contaminados.

Instituição Iniciativa Verde – Responsável pela recuperação das matas ciliares do Sistema Cantareira

Ventos do Sul Energia – O maior parque eólico da América Latina – Rio Grande do Sul, Brasil

Então vocês se perguntam: onde entra a moda nisso tudo? O setor da moda é sem dúvida um dos que mais consomem recursos naturais. Além das matérias-primas, utiliza inúmeros outros tipos de energia, recursos hídricos, enfim, todas as etapas da produção de um produto depende, direta ou indiretamente, da natureza. Desde os fios, a tecelagem dos tecidos, passando pelo tingimento, lavagem e estamparia, o consumo destes recursos é alto, proporcionalmente a degradação da natureza também.

Pensando nisso, personalidades da moda começaram a atentar-se a isso, já que o consumo vem crescendo cada vez mais, tornando preocupante o fato de utilizar tais recursos sem repô-los à natureza. Com o passar dos anos, as marcas passaram a investir em pesquisas que pudessem desenvolver soluções que palpassem um pouco mais a natureza, como a reciclagem de materiais, a reutilização de matérias-primas, a utilização de refugos e outras diversas técnicas buscando uma moda sustentável. Ao longo da pesquisa, muitas alternativas surgiram, como o desenvolvimento de tecidos à partir de garrafas PET e outros materiais como o algodão orgânico, a juta, o bambu e o cânhamo, todos através do sistema de replantio e/ou reciclagem.

Tecido de Fibra de Juta

Tecido de Fibra de Algodão Orgânico

Tecido de Fibra de Bambu

A moda sustentável busca, principalmente, um equilíbrio entre a natureza e o mercado de consumo, com isso passou a recrutar consumidores que se preocupam com a questão ambiental, um público exigente e preocupado com a forma com que lida com a natureza em um todo. Ao agregar valores como consumo consciente, personalidade, produtos diferenciados, dentre outros, a moda passou a contar com o auxilio de instituições que logo trataram de expandir a sustentabilidade no setor, fazendo com o produtos ganhassem desde cooperativas artesanais, às marcas de luxo.

Uma das primeiras personalidades da moda a reverenciar as novas técnicas foi Ana Wintor (editora da Vogue americana), quando citou pela primeira vez, em um editorial da revista Vogue, o tema ecológico atrelado à moda. E ainda disse: “O fashion não é olhar para trás,  é olhar para frente.”

Em seguida, nomes como Stella McCartney e Vivienne Westwood logo trataram de propagar a ideia no mercado de luxo, já que suas peças são objetos de desejo de muitas mulheres. Logo de cara deixaram de lado o uso do couro animal, além de outras iniciativas como a criação de uma coleção exclusiva que Stella McCartney fez para a Adidas, onde os tecidos eram feitos de garrafas PET e algodão orgânico, sem falar das lojas, onde a energia é eólica e as sacolas são feitas com milho biodegradável e papel reciclado.

Já Vivienne Westwood defende o consumo consciente, prezando a qualidade e não a quantidade: “Devemos comprar menos e optar por produtos de qualidade e duráveis”. A iniciativa da estilista é bastante atual, porém,  a contemporânea Coco Chanel já dizia não se conformar com a troca de estilo a cada estação. “A atitude denota muito dinheiro, mas pouco estilo”, dizia Chanel.

Coleção Stella McCartney para a Adidas

Estilista Vivienne Westwood

No Brasil, os pioneiros na moda sustentável foram Geová Rodrigues, Priscila Gomide e Carollina França, que partiram de um princípio que defendia a reutilização de tecidos, a reciclagem de resíduos têxteis e a utilização de materiais considerados perdidos, transformando-os em peças fashion.

Em seguida, pequenas marcas artesanais ganharam força com a propagação da nova vertente, através da utilização de materiais alternativos e menos agressivos, sempre ligados ao conceito sustentável. Dentre estas, sem dúvida, a marca que mais se destaca no cenário nacional é a Osklen. A grife utiliza mais de 20 materiais de origem reciclável, orgânica, natural e artesanal, que variam desde o cânhamo, o bamboo e a PET, até escamas de peixe, refugo de madeira, etc. A empresa ainda trabalha com mão de obra terceirizada em pequenas comunidades e cooperativas, auxiliando no desenvolvimento sócio econômico ao longo da cadeia produtiva, além de inúmeros projetos sociais relacionados à prática da sustentabilidade.

moda sustentavel tecidos

**Tecidos Sustentáveis – Osklen Verão 2015 **

moda sustentável bolsa osklen

Bolsa de Tecido Sustentável – Osklen

E como nós também somos super preocupados com a herança natural que deixaremos para nossos descendentes e que ainda usufruiremos por um bom tempo, sempre estivemos antenados a este conceito de produção. Desde o início nos preocupamos em estar ecologicamente corretos, de acordo com a sustentabilidade e praticar aqui dentro a moda sustentável.

Foi então que implantamos projetos aqui na Chico Rei, a fim de contribuir com o nosso belíssimo planeta. Um dos principais programas que temos implantado é “Vamo de bike?”, que consiste em fazer todas as entregas em Juiz de Fora, nossa cidade natal, de Bike. Parece bobagem para muitos, mas os números em relação a isso são altos e o resultado, muito bacana! Em um ano conseguimos economizar cerca de 2 toneladas CO2! E não paramos por aí!  Há um tempo tomamos práticas internas responsáveis com o meio ambiente como base de nossas ações, como a separação do lixo em recicláveis e orgânicos, sistemas de economia de água em nossa sede, políticas internas de economia de energia, trabalho responsável com tinta a base d’água em nossa estamparia, além de nossa horta orgânica, criada para compartilhar com a equipe e vizinhança hortaliças sem qualquer tipo de agrotóxico. E assim seguimos com a nossa conscientização e nosso dever de lutar por um mundo mais sustentável!

Horta Chico Rei

**Nossa Horta 100% Orgânica **

E aí, curtiu o post? Compartilha com a gente aí nos comentários o que você tem feito para ajudar a termos um mundo mais sustentável!

Bnrs_Blog_Categorias_(600x250)_ALT1_mais-legais_03

Salvar