Goiás de corpo e alma

O melhor do Brasil é…. a Natureza! Temos sorte tamanho família de fincar pé por aqui e agradeço de joelhos à toda galere que teve coragem de desbravar esses rincões, obrigado Tupi-Guaranis, Tapuques e Caraíbas e aquele abraço para italianos e espanhóis que cruzaram o Atlântico e, de alguma maneira, me trouxeram pra cá. Dias atrás conheci um pedaço de sorte no coração do Brasil, em terras goianas: a Chapada dos Veadeiros. As estradas que passeiam por aquela região impressionam, e veja bem: chamar a atenção de um mineiro com

Santiago: ir ou não ir, eis a questão!

Com os dedos prontos para caminhar pelo teclado e digitar sobre Santiago, bateu uma dúvida na cabeça: o quanto vale conhecer a capital chilena? A terra de Pablo Neruda não tem a noite de Bogotá, nem o tempero da comida portenha, tampouco a calmaria de Montevideo**.  Se fosse uma competição de qual capital na América do Sul visitar, onde estaria Santiago em minha lista?** Na largada estaria nas cabeças! A receptividade e o carinho transbordam pelo povo, com tranquilidade e simpatia de sobra quando nós, perdidos por aquelas terras, precisamos

Sem perder a hora: Londres

Uma danada coincidência: há exatos 2 anos, no tempo certinho que coloco essas palavras no computador, lá estava eu pousando em Londres, para bater pernas por 4 dias. E pra dar rock nesse post, escrevo aqui em papo reto, sem atrasos e com cuidado: Mind The Gap e Look Right! Let it Be: Se você compartilha comigo o medo de altura, fica uma dica de irmão: vença ele em terras inglesas. Os passeios na London Eye – aquela roda gigante realmente gigante e no **The Shard **– o maior edifício da Europa,

Colômbia: o risco é querer ficar!

Largando a hipocrisia de lado, se alguém perguntasse o que me vinha à cabeça sobre Colômbia, a resposta na ponta da língua falaria sobre as FARC, cocaína e zefini! Mas por aqui bate um coração que, com todo o respeito aos tupiniquins, adora o risco de um programa de índio, sempre na esperança de surpresas alegres. Com aquele preconceito sobre a terra de Gabriel García Márquez, tomei voo pra lá. Fui primeiro parar em Cartagena das Índias, que fica ao norte de nosso continente, no mar do Caribe. Já era

Joia baiana: Abrolhos

Quando naus lusitanas tinham como destino as terras ao Sul da Bahia, o alerta era claro: abra os olhos! Barreiras formadas por corais com até 20 metros de altura foram responsáveis pelo naufrágio de cerca de 70 navios por aquelas bandas desde o século XVI. Hoje, ”abra os olhos” se transformou em Abrolhos e o arquipélago baiano merece outro significado para seu nome: atenção para as suas belezas naturais. Com uma das maiores concentrações de peixes por metro quadrado do planeta, em quantidade e variedade, suas águas viraram atração para

Canoa Quebrada

Viajar é bom demais da conta! O que falta é tempo, no bolso e no relógio. Uma ideia para matar a vontade de bater as pernas por aí é fazer** passeios curtinhos e baratos**, onde um final de semana descansa a alma e ainda deixa com gosto de quero mais para outros rumos. Canoa Quebrada é um ótimo exemplo disso. A 160km de Fortaleza, a cidade conhecida pelo astral leve – natural para um povoado que nasceu como vila de pescadores e depois descoberta pelos hippies – tem uma estrutura super bacana

Ainda não é hora de conhecer Cuba

Alegremente leio esses dias a notícia de que as relações entre Estados Unidos e Cuba se amenizam, o que pode trazer um novo futuro ao país caribenho. O sol parece brilhar por lá, e fico na expectativa que o sol brilhe para os cubanos também. Já para nós, turistas, deixo aqui minha opinião: segura a onda! Cuba é paupérrima, mas a pobreza por lá não significa apenas a falta de dinheiro no bolso, a pobreza que impera por terras caribenhas é a de esperança, a vontade de um futuro melhor

Rumo ao Sul: Partiu, Patagônia!

Antes de correr os olhos por essas palavras, vale um aviso: os relatos deste texto se referem aos primeiros dias de um dezembro qualquer. Enquanto no inverno o sol aparece timidamente pouco mais de seis horas por dia, no verão ele garante quase 20 horas de claridade por aquelas bandas. Nosso cartão de visitas para a Patagônia foi El Calafate, que carrega na bagagem uma das maiores geleiras do planeta, e Ushuaia, a cidade mais austral do mundo. Além de um verão com dias enormes e temperaturas perto de zero