O sertão não virou mar e o mar não virou sertão

O desejo da Terra prometida e – consequentemente o desejo do mar – eram vontades asseguradas, a todo instante, pelos religiosos no Brasil de 1964. É nesse contexto que encontramos o casal Manuel (vaqueiro) e Rosa. Os dois vivem uma vida de miséria no nordeste brasileiro; mas sempre acreditando na possibilidade da mudança (Rosa por vezes mais cética que Manuel).

13 filmes de terror de verdade pra você que acha que não tem medo de nada

Filmes de terror DE VERDADE! Tá caçando por aí indicações pra te deixar dias sem dormir?

Pois chegaram!

Aproveita esse monte de feriadão e já procura um amigo ou uma paquera pra dividir o colchão porque o lance aqui é pesado.

Eu pessoalmente adoro filmes de terror. Nada daqueles com sustos que enfraquecem o coração, mas uns com cenas perturbadoras e roteiros bem desenvolvidos pra deixar a gente baqueado.

Tá, primeiro um papinho de cinéfilo… Suspense ou terror?

Livros que foram parar no cinema e na Chico Rei

A gente sabe que classicamente não há filme que faça jus ao livro, salvo raríssimas exceções… Mas, como além de folhear umas páginas, a gente gosta de comer uma pipoca também, vem aí uma listinha pra ler e assistir!
Dá pra ler primeiro e comparar depois, assistir pra ver se dá vontade de ler, só ler ou só assistir. Enfim! Tem literatura boa indo pras telonas e você acompanha as dicas por aqui. Vamos aos finalmentes?

Os 6 filmes mais violentos dos últimos 20 anos

Sangue nos olhos!

Hoje vamos listar os filmes mais violentos dos últimos 20 anos.

Mas antes, vamos pensar um pouco sobre o tema “cinema e violência”.

Como todos sabem, o cinema é uma arte que se estabelece como um reflexo da sociedade, já que nasce das inquietações e reflexões de seus idealizadores e criadores.

Fora essa coisa toda de indústria cultural, é legal perceber a conjuntura e os momentos em que nascem as expressões artísticas regadas de catarse  como o cinema. Observando essa lista com os filmes mais violentos dos últimos 20 anos, podemos (e devemos) trazer o recorte dos filmes para um cenário mais próximo do nosso.

Pra alguns pensadores, a violência é inerente ao ser humano, advinda de um impulso primitivo vivido ainda no inconsciente. No entanto, as aplicações desses impulsos acontecem deliberada e conscientemente.

Passando por todo esse momento reflexivo, o que nos sobra na telinha é sangue e agonia. Quem curte esse mix, cinema e violência, trocaremos em seguida umas boas indicações por aqui.