Las Vegas + Grand Canyon

Las Vegas é cidade que trai as palavras de quem deseja escrever sobre ela. Antes de partir pra lá, um tanto de textos e fotos bacanas não foram suficientes para colocar na cabeça o que acontece em terras de Tio Sam. Não de bobeira, 42 milhões de pessoas bateram pernas na Capital do Pecado no último ano (quase 7 vezes a quantidade de turistas que o Brasil inteiro recebeu no mesmo período)!

Como um parque de diversões de gente grande, LV é sinônimo de exagero. Tudo é over, não à toa um bocado de recordes saem de lá: A mais alta roda gigante, montanha russa e réplica da Torre Eiffel do Planeta, a maior concentração de hotéis 5 diamantes dos EUA, o maior farol apontado para os céus da Terra, a Capital do Jogo, Casamento, Entretenimento… e haja reticências para tanta megalomania.

lv1Com amigos em Vegas, incluindo o Bob Esponja.

E o melhor de tudo: ela aceita quem não tem alguns milhares ou milhões de dólares na certeira para torrar pelos cassinos. Na verdade, a jogatina é uma parcela pequena dos motivos de receber tanta gente no meio do deserto: ela divide a cena com espetáculos, casas noturnas, restaurantes, shows, passeios e compras.

É fácil se virar por lá, as dicas mais simples para quem vai pela primeira vez são: não alugar carro, afinal você irá gastar canela em apenas uma avenida e táxis tem um preço honesto e atendimento joia – quase sempre imigrantes com boas histórias para contar. Além de** escolher um hotel na Strip**, a principal via da cidade. Se você é um mero mortal e espera ficar rico só depois de colocar seu rico dinheiro nas roletas (dica: é difícil), pode escolher um quarto barato e passear pelos hotéis de bacana, afinal, todos ficam abertos ao público com os seus cassinos.

lvEm todas as passarelas da Strip, escadas rolantes dão aquela força!

Infelizmente eu não ganhei milhões nos caça-níqueis, só perdi alguns dólares, sempre na humildade, jogando rodadas de 25 cents 🙂 E me desculpe a sinceridade, mas acho – só acho! – que você não terá sorte diferente, então para não gastar a merenda da escola nas maquininhas, estipule um valor para perder jogar por dia e trate aquilo como uma diversão, não uma batalha, afinal, você sempre sairá ferido! Divida suas notas de Obamas para apostar em diferentes cassinos, sempre existem opções novas para fazer uma fezinha!

A minha maior derrota não foi contra uma máquina, mas para um amigo: aposta firmada e peito cheio para saltar do SkyJump do Stratosphere, um salto de 260 metros de altura, apoiado por uma corda. A felicidade com o dinheiro certo no bolso durou apenas até o momento que o elevador subiu os 108 andares do prédio e abriu as portas: as pernas bambearam e além de não saltar, quase me falta coragem para entrar nos brinquedos que já havia comprado ingresso. Mesmo com as mãos geladas só pela lembrança, fica aqui minha dica: a vista vale a adrenalina!

lv2Esse brinquedo que não é de Deus + meus desespero no canto direito + eu ainda desesperado na saída.

Vegas poderia ser uma referência quando o assunto é a sua vocação radical! Além das insanidades que já papeei por aqui, o Hotel New York tem uma montanha russa sensacional, digna de Busch Garden e, além disso, é cenário para radicalidades entre casais: o casamento!

Casamos dois amigos em frente ao lago do Bellagio e acho que é uma história pra lá de sensacional para contar para seus netos! Existem casamenteiros oficiais que você pode combinar com antecedência e é tudo de papel passado! Ah! E sobre o Bellagio, ele é o hotel mais tradicional por aquelas bandas e seu lago tem um show a cada 15 minutos de 1200 chafarizes, fazendo águas dançarem a uma altura de até 140 metros!

Além de alegria para os olhos, Vegas é festa na boca! Os maiores nomes da culinária mundial assinam restaurantes e podemos provar a comida de estrelas da TV! O hambúrguer do Gordon Ramsey (apresentador do Hell’s Kitchen) ficou guardado do lado esquerdo do peito e a massa e torta do** Buddy** (Cake Boss) dentro do coração. Não estou falando de colesterol, tô falando de amor pela comida! Mesmo se não for uma celebridade das cozinhas, eu apostaria em qualquer canto que você parar para fazer uma boquinha, tivemos a felicidade de só provar delícias – até Oreo frito entrou no cardápio!

Parando por aqui, porque estou um eufórico-empolgado-falador, fecho com um pedido para quem quer conhecer o Grand Canyon: quebre seu porquinho e escolha a viagem de helicóptero ao entardecer. Só do alto terá a dimensão da grandeza do parque, além de pousar no meio do desfiladeiro com direito a champagne e um lanche responsa! O horário é por um motivo claro: os tons de laranja ficam ainda mais espetaculares com o Sol de fim de dia.

lv4
lv3Sobrevoando e na base do Grand Canyon: mais de mil metros de altura em alguns trechos.

E com clareza, reescrevo: é impossível você não gostar de Las Vegas! Vai na fé! Pago um pastel e um guaraná se você achar o contrário.