Loja
Tiago Santos-Vieira

Tiago Santos-Vieira

Escritor e jornalista; é autor dos livros Dança das Bestas, Elos do Mau Agouro e As Aventuras do Super Careca. Foi colaborador das revistas Rolling Stone, Trip/TPM e é brother da Chico Rei.


A Cor Certa da Bandeira

crônica

A Cor Certa da Bandeira

"E aí branquelo!?! É tu mesmo, com esse tom de pele tão desbotado quanto quem vos escreve. Assim como eu, foste pouco agraciado com a melanina, substituída pelo talquinho das regalias no bumbum." Continue lendo a crônica do escritor-convidado Tiago Santos-Vieira.

• 3 mins de leitura
Bolacha recheada com privilégios

crônica

Bolacha recheada com privilégios

Se liberou a cloroquina, o Ministério da Curandeiragem poderia recomendar éter em vez de álcool gel. Fazendo-o, acrescentaria essência de morango e encharcaria minhas máscaras antes de usar. O momento pede entorpecência! Continue lendo a crônica do escritor-convidado Tiago Santos-Vieira.

• 3 mins de leitura
A Lei do Barbante

conto

A Lei do Barbante

Dos tempos em que meu Avô era sano, não me foge da cabeça suas histórias sobre Fajardo Dantas. Um famigerado município onde tudo se resolvia no fio do bigode, no gume da faca e no festim da carabina. No lugarejo duns mil habitantes...

• 5 mins de leitura
Serotonina

conto

Serotonina

Quando adentra ao apartamento 508, sua alcunha é Spike, não mais respondendo pelo que firmou o batismo. Todos na Sociedade das Correntes têm codinomes e, junto com os sapatos amontoados no hall, deixam suas rotineiras vidas. A entrada do apartamento é um portal.

• 3 mins de leitura
Manchete

conto

Manchete

Antes do atual, Layla Mufaza vivia com outro homem. Cheia de implantes, apliques e toda sorte de hormônios circulando pelo corpo, a escultural morena arrebatara outro coração. Seu ex-marido a tirou do meretrício, alugou-lhe um apartamento e abonou-a com mesadas.

• 2 mins de leitura
O Bife

tiago santos-vieira

O Bife

Nada de temperos; apenas pitadas de sal. Nada de manteiga ou azeite; um fio de óleo na frigideira, só para “puxar”, como dita a gastronomia: o “bife de bunda”, por demais adiposo, fritaria na própria gordura.

• 4 mins de leitura
Medo e Delírio no Cerrado

conto

Medo e Delírio no Cerrado

O velho Jornalista só se comunicava com o mundo através de um rádio amador. Fanático por armas, passava os dias em seu rancho, nos confins do Cerrado, atirando em Tamanduás, Guarás e tudo que passasse pela frente.

• 2 mins de leitura
Intolerância Cronológica

crônica

Intolerância Cronológica

O amadurecimento deve ser orientado. Levado nos braços enquanto criança, norteado na adolescência e talvez um chute na bunda no limiar da vida adulta: “já deu, arruma um trampo, e os concurso? Se vira!”. Por que há de se seguir regras ao envelhecer?

• 2 mins de leitura
Otorrinolaringosatanista

crônica

Otorrinolaringosatanista

“Bruxismo? Não! Você tem é Satanismo mesmo”, disse o dentista, sobre aquela mandíbula toda fudida. Mas de onde vem tamanha pressão... Travando maxilar diuturnamente, limando dente com dente, deixando todos na mesma altura?

• 2 mins de leitura
Medo e Delírio em Brumadinho

crônica

Medo e Delírio em Brumadinho

A alvura dos azulejos lembrava um açougue em fim de expediente. É quando os carnífices largam as facas, munindo-se de escovas e água sanitária, fazendo escorrer pelo ralo sangue, suor e demais fluídos laborais. Mas ainda que exalando brancura hospitalar, o interior dos ladrilhos os denunciavam...

• 2 mins de leitura
Rasteira: um esporte tupiniquim

crônica

Rasteira: um esporte tupiniquim

Tudo às avessas, inclusive a aquisição de experiência no galopar dos anos. Mais velho, em vez de safo, mais inocente ficaste. Ou talvez parara no tempo, enquanto quem o rodeava atingia excelência em performance. Numa modalidade que dia desses constará na carta olímpica de opções: a puxação de saco?!

• 2 mins de leitura